No final dos anos 80,havia uma galera experimentando e tentando criar algo novo na música, o grupo The wild bunch (coletivo sound – system),buscava incorporar no som um pouco de punk, r&b e reggae, dando ênfase em ritmos mais lentos com ambientação eletronica, batidas semelhantes utilizadas no hip hop, algo que viria a ser angular para uma musicalidade que se consolidaria mais tarde. Nomes que viriam a ser conhecidos posteriormente se formaram em 1983, dando os primeiros passos para o que se tornaria o trip hop…título até então inexistente (contudo, comento Isso depois)… “No final da década de 80 o grupo se dissolve e Grant “Daddy G” Marshall, Andrew “Mushroom” Vowles ambos ex “The Wild Bunch se juntam a Robert “3D” del Naja e passam a formar o grupo Massive Attack em 1987. Tricky, também em tempo parcial é um dos principais colaboradores desse coletivo e também do estilo,que logo depois,se mostra um Belo aluno apresentando uma excelente carreiro solo. Agora assim já mais concretos e sabendo o que queriam, o Massive Attack passa a ser um dos pioneiros do estilo. Enquanto, em 17 de janeiro de 1991, as forças armadas dos Estados Unidos invadem com apoio de outros países o Iraque, começam as operações militares da Guerra do Golfo em Território iraquiano. No mesmo ano em 20 de outubro de 1991, Ayrton Senna conquista o Tricampeonato mundial de Fórmula 1. No ano que começou a ser. Comercializada a soja transgênica (modificada geneticamente). O Partido Conservador Britânico escolhe John Major para suceder Margaret Thatcher,como líder do partido e primeiro-ministro do país. Preocupados com outras coisas em Bristol, o nada conservador Massive Attack lança o aclamado Blue Lines,criando espaços em uma escola na qual iria transitar outros grupos que viram mais tarde como o tão conhecido Portishead, no mesmo ano que sai o disco do Massive Attack, tendo isso Como referência em bristol, o grupo Portishead é montando pelo até então desempregado Geoff Barrow, que já havia trabalhado com os caras do Massive e com Tricky, ele encontra Beth Gibbons (vocal), que fazia pequenas apresentações noturnas em pubs e Adrian Utley, que tocava guitarra Com alguns nomes do jazz como, the jazz messengers e Big john patton. Essas 3 cabeças pensantes juntas criaram um curta intitulado, “To kill A dead man”, alá filmes de espionagens,no qual produziram a trilha sonora, que mais tarde resultaria em um contrato com a Go!Beat Records. Em 1994 enquanto o Brasil levantava a taça do tetra, o grupo Portishead levanta o álbum “Dummy” (apesar da aversão do grupo a mídia, mantinham Um lado underground), não tiveram como escapar. Com esse álbum o Portishead deslancha, com batidas lentas, utilizando de programações eletrônicas, inserindo alguns elementos do cool jazz sobre a voz Beth, dá início popularização do estilo Trip Hop. Mais ai você me pergunta? Você não disse que explicaria o que seria Esse tal de trip Hop? Bom, o termo até depois que o Massive Attack lançou o blue lines não Via-se críticos ou qualquer meio de informação inserindo esses famosos e odiados por muitos “Rótulos”. “Mas que necessariamente pra esse havia de ser colocado”.A palavra Trip Hop vem aparecer em um magazine americana “MixMag” pra Tentar suprir a necessidade de definir o álbum de 1995 “Maxinquaye” de Produtor e cantor Tricky, que mostra tudo que aprendeu e ajudou a ser Criado. Apesar de o termo ser indicado só alguns anos depois, o estilo Como podemos notar já havia sido criado e se expandido até então. Agora algo que demorei esse tempo todo pra dizer… que ainda vou demorar um pouco mais, na verdade quando comecei a redigir o texto era pra falar sobre a interligação de um sampler que acabou se tornando um ícone no meio trip hop…quase que obrigatório se utilizar Dele ou criar algo similar, enfim ,siga o texto. …. Bom no ano de 1971 o grande mestre do Soul e r&b Isaac Hayes ,lança o álbum Black Moses, ae você leitor “Pensa…” meu,agora confundiu tudo mesmo, esse cara nem sabe o que está dizendo, o que tem haver Isaac hayes com trip hop, que até o momento nem existia,não tem nada haver uma coisa com a outra? Ae que você leitor se engana, como as coisas tem ligações e interligações e nem percebemos, sempre criticamos os estilos diferentes sem Conhecermos etc..etc. e tals..Continuando sobre Hayes, com o álbum lançado em 71 no qual uma de suas canções que contém no mesmo, viria a Ser providencial para os nossos grupos de trip hip hop e também, motivo de muita discussão no meio crítico musical. Em 1993 – Raio-X do Brasil é lançado, álbum do maior representante do Cenário hip hop nacional,os mestres de cerimônia Racionais mcs, que Um ano depois (1994), como já citado,Portishead entra em cena com o album Dummy que conta com a música que os tornaram mais conhecidos (a gloriosa “Glory Box”), mais um ano adiante (1995) Tricky como já citado,lança “Maxinquaye”, que conta com a canção ” Hell is around the corner “.E mais dois anos adiante “(1997) o que acontecia na antiga colônia de Portugal, o terceiro mundo chamado Brasil! “Existiam 4 pessoas mortas, que das quais 3 eram negras, nas universidades, 2% dos alunos negros., a cada 4 horas um jovem negro morria violentamente em SP”.O Brasil levantava o titulo de maior índice de homicídios das Américas, Uma taxa de desemprego entre jovens da periferia que passava dos 30%. E no bairro do capão redondo? Um morador de lá chegava a ter 12 vezes mais chances de ser assassinado do que um morador de outra parte da cidade, Mas foi de lá que surgiu criatividade, eficiência pra atingir o mundo com canções simplesmente espetaculares, com tom de protesto, mostrando a realidade local. Competência não só nas letras escritas pelos mcs Mano Brown, Edy Rock, Ice Blue em alguns fragmentos até KL Jay
O que faziam o mcs do Racionais, em especial o que Kleber Geraldo lelis Simões (dj Kl jay – um dos melhores, se não o melhor do Brasil) estava Fazendo, que não estava nos indicies de morte do capão redondo,te digo eu mesmo.Estavam contrariando as estáticas, criando discussões entre djs, mcs , intelectuais acadêmicos, críticos musicais e até mesmo Caetano Veloso e Chico Buarque discutiram o “fenômeno Racionais”, colocados a prova ao analisar o disco, que abre com e letra de “Jorge Da capadocia” de Jorge Ben, sobre a base sampleada de quem”? de quem? Para todos que estão lendo e dizendo que nada desse texto tem ligação..Em Verdade vos digo, sobre a base de “Ike’s rap II”, lenda do soul e do Funk Isaac Hayes. Mencionado acima, No mesmo ano vinham os modernos descolados jornalistas e especialistas acadêmicos, com toda suas falaCias dizendo que,( hahahaha), os Racionais haviam sampleado o mais novíssimo sofisticado Postishead, que na verdade bebeu na mesma fonte pra produzir a musica Glory Box. Tricky,que que Não precisava provar nada a ninguém sobre trip hop, se utilizou da mesma pra produzir a música “Hell is around the corner”, nesse álbum bem acompanhado pela jovem vocalista Martine que mantinha participação em vários outros trabalhos, cada um das composições feitas em épocas diferentes tem sua importante e peculiaridades, O grupo Racionais apesar de membros oficiais do terceiro mundo Vivido em pele, estavam mais além de seu tempo, mais pra primeiro mundo com todo esse lance de engajamento musical mostrado em seus trabalhos, além de Isaac hayes o que KL jay sampleava no mesmo disco? Isley Brothers e Curtis Mayfield? Na conhecida “Diário de um detento”, Co-escrita por Josemir Prado, o Jocenir, um ex-detento do Complexo do Carandiru, no qual Kl deixa de clima “easin in” de Edwinn star, eles não estavam só lançando um disco apenas, estavam entrando pra Historia da musica com “Sobrevivendo no inferno”, assim como Portishead com “Dummy”,Massive Attack com “Blue Lines”, Tricky com “Maxinquaye” e a assim como o Trip Hop, Isaac Hayes mal sabendo contribui indiretamente e Diretamente, o mentor disso tudo com sua especial “Ike’s rap II” que faz todo o intermédio, que pra muitos que desconhece e abrem suas bocas pra vomitarem disparates, haveria um abismo….Mas há uma ponte entre entre a periferia e a música sofisticada do primeiro mundo de Bristol.

Parafraseando o mestre do canão Sabotagem finalizo o post “Participe saber qualé que é não é tolice, sempre humilde”

Deixarei pra download a música original de Isaac Hayes – “Ike’s rap II” e as quais foram utilizadas de sampler em ordem cronológica. de quebra o album do massive attack (blue lines ) e do Tricky – maxinquaye Fique a vontade para baixar, comentar , criticar e até descordar disso tudo. Esse texto pode ser reproduzido sem autorização do mesmo.
Voce encontra os grupos sites nos links abaixos.

www.massiveattack.com
www.myspace.com/massiveattack
www.myspace.com/trickola
www.portishead.co.uk
www.myspace.com/portisheadalbum3

Isaac Hayes – “Ike’s rap II” – download

Portishead -” Glory Box” download

Tricky – hell is around the corner – download

Racionais mcs – Jorge da Capadocia – download

Cd completo do Tricky Maxinquaye download

Cd completo Massive Attack – Blue Lines download

Texto feito e retirado do bloco de notas por Diego Max.

Anúncios